Contacto de Emergência

Caldeiras e Grupos Térmicos

UTILIZAÇÃO


Precauções


Evitar as agressões contra as caldeiras.


Será verificado que as chamas do bico de gás ou queimador sejam de cor azulada e a total ausência de cheiros.


Será verificado que a pressão da água do manómetro coincide com a determinada na colocação em funcionamento.


Prescrições


O utilizador deverá manter as condições de segurança especificadas no projecto do mesmo e deverá contactar com o Serviço de Manutenção perante o aparecimento de qualquer anomalia.


Excepto os comandos do painel frontal, qualquer outro manuseamento deverá ser realizado por um profissional qualificado.


O proprietário deverá possuir um contrato de manutenção com uma empresa autorizada que se ocupe da manutenção periódica da instalação, de maneira que o utilizador unicamente deverá realizar uma inspecção visual periódica da caldeira e dos seus elementos.


Sempre que sejam revistas as instalações, um instalador autorizado reparará os defeitos encontrados e serão substituídas as peças necessárias.


Proibições


Não será enchido o circuito de água com a caldeira quente.


Não serão manuseadas partes interiores dos sistemas de fornecimento de gasóleo, queimador, electricidade nem das centrais de programação.


Não serão modificadas as ventilações dos locais onde se localizem.


Não se porá em funcionamento a instalação sem verificar o nível da água do circuito, procedendo ao seu enchimento se for insuficiente.


MANUTENÇÃO


Pelo utilizador


Todos os anos:


Limpeza e verificação do equipamento da caldeira, no final de cada temporada, assegurando que não existem fissuras, corrosões ou fugas pelas juntas e de que os acessórios de controlo e medição, assim como os dispositivos de segurança, estão em bom funcionamento.


Pelo profissional qualificado


Cada mês:


(Para instalações de potência térmica nominal > 70 kW:)


Limpeza do queimador da caldeira.


Verificação da estanquidade de fecho entre o queimador e a caldeira.


De 6 em 6 meses:


(Uma vez no início da temporada e outra a metade do período de utilização, para instalações de potência térmica nominal > 70 kW:)


Verificação e limpeza, se necessário, de circuitos de fumos de caldeiras.


Revisão e limpeza de filtros de água.


Revisão do sistema de controlo automático.


Todos os anos:


(Para instalações de potência térmica nominal <= 70 kW:)


Verificação e limpeza, se necessário, de circuitos de fumos de caldeiras.


Limpeza do queimador da caldeira.


Verificação da estanquidade de fecho entre o queimador e a caldeira.


Revisão geral de caldeiras a gás e caldeiras a gasóleo.


Revisão do sistema de controlo automático.


(Para instalações de potência térmica nominal > 70 kW:)


Limpeza do queimador da caldeira.


Verificação da estanquidade de fecho entre o queimador e a caldeira.


Instalações a Gás, Instalação Interior

UTILIZAÇÃO


Precauções


Todos os aparelhos de gás devem cumprir as disposições e regulamentos que lhes sejam aplicáveis.


Antes de instalar, ligar e colocar em funcionamento um aparelho, será verificado que esteja preparado para o tipo de gás a utilizar e que tanto o local como a instalação que o alimentam cumprem as respectivas disposições.


As instruções de utilização entregues na compra dos aparelhos de gás devem ser legíveis.


O local onde estejam localizados os aparelhos de gás serão sempre ventilados.


Será verificado que os tubos de evacuação de fumos estão correctamente instalados.


Em ausências prolongadas e também durante a noite, será fechado o regulador de gás.


Prescrições


O utilizador deverá dispor da planta actualizada e definitiva da instalação interior de gás da habitação, de forma a que na referida planta se encontrem identificados os vários componentes da instalação particular, mediante um símbolo e/ou número específico.


Os elementos e equipamentos da instalação deverão ser manuseadas unicamente pelo pessoal da assistência técnica da empresa fornecedora.


Qualquer modificação que se queira realizar nas redes de distribuição de gás deverá contar com a assessoria de um técnico competente.


O manejo dos elementos da instalação nas operações de transvaze deverá ser efectuado por pessoal habituado à mesma.


Se for detectado cheiro a gás, o procedimento a seguir será:


1 - Fechar imediatamente a válvula de corte individual.


2 - Não acender nenhuma chama nem accionar campainhas nem interruptores eléctricos.


3 - Ventilar o local.


4 - Avisar imediatamente o serviço de assistência da empresa fornecedora.


Em instalações até 70 kW de potência instalada, a inspecção compreenderá desde a válvula da habitação ou do local privado até aos aparelhos de gás, incluindo estes.


Em instalações centralizadas de aquecimento e instalações com mais de 70 kW de potência instalada, a inspecção será realizada desde a válvula de corte do edifício até à ligação dos aparelhos de gás, excluindo estes.


De uma forma geral, e independentemente da potência instalada, nas instalações abastecidas a uma pressão máxima superior a 5 bar a inspecção será realizada desde a válvula do ramal de ligação até à ligação dos aparelhos de gás, excluindo estes.


No caso de as operações serem efectuadas com pouca luz, o distribuidor facilitará a sua lanterna antideflagrante naquelas instalações que sejam obrigadas a tê-la.


Perante a existência de fugas, deverá fechar-se a válvula correspondente, ventilar e avisar um técnico correspondente sem acender luzes ou accionar mecanismos eléctricos.


Se for detectada a presença de gases nos tubos, deverá fechar-se a válvula de corte e ventilar o local.


Proibições


Não serão manuseadas as partes interiores dos sistemas de abastecimento de gás.


Não serão modificadas as ventilações dos locais onde se localizem.


A rede interior não será manuseada nem modificada.


Não serão ligadas redes de terra à instalação de gás.


Não serão colocados móveis em redor das válvulas de corte deixando-as inacessíveis ou sem ventilação.


Não serão forçados nem manuseados os mecanismos das válvulas de corte.


MANUTENÇÃO


Pelo profissional qualificado


Todos os anos:


Verificação do adequado aspecto das canalizações e válvulas.


Verificação do estado da canalização com água e sabão, nunca com chama, para detectar possíveis fugas.


De 5 em 5 anos:


Revisão da instalação, emitindo um certificado da referida revisão que ficará em poder do utilizador.


Instalações, Aquecimento, Climatização e A.Q.S.

UTILIZAÇÃO


Precauções


Se evitarão as agressões contra os colectores.


Prescrições


O utilizador deverá manter as condições de segurança especificadas no projecto do mesmo e deverá contactar com o Serviço de Manutenção perante o aparecimento de qualquer anomalia.


O proprietário deverá possuir um contrato de manutenção com uma empresa autorizada que seja responsável da manutenção periódica da instalação, de forma a que o utilizador unicamente realize a inspecção visual dos parâmetros funcionais principais da instalação.


O plano de manutenção deve realizar-se por pessoal técnico competente que conheça a tecnologia solar térmica e as instalações mecânicas em geral. A instalação terá um livro de manutenção em que se reflectirão todas as operações realizadas assim como a manutenção correctiva.


O sustento deverá incluir todas as operações de manutenção e substituição de elementos fungíveis ou gastos pelo uso, necessárias para assegurar que o sistema funcione correctamente durante a sua vida útil.


Proibições


Não será manuseado nenhum elemento da instalação.